Turbidimetria - Látex PCR

Desde a sua descoberta, em 1930, a PCR foi considerada uma proteína de fase aguda e tem sido estudada como um dispositivo de triagem para infeccões ou inflamações, marcador cardíaco e complemento diagnóstico.

A presença da Proteína C Reativa representa um indicador extremamente sensível de processos reumáticos e patológicos resultantes de infecções, carcinomas, necrose tecidual, cirurgias, doenças cardiovasculares e no diagnóstico e acompanhamento do infarto agudo do miocardio (IAM). O infarto agudo do miocardio está associado com extensa resposta inflamatória, resultando em níveis elevados de indicadores inflamatórios, o que aumenta o interesse no uso da proteína C reativa na avaliação dos riscos de complicações cardíacas pós-infarto.

Atualmente, existem diferentes métodos biológicos de medição para PCR. Os métodos mais conhecidos são: o qualitativo de aglutinação em látex e o quantitativo como turbidimetria ou nefelometria. Em ambos os métodos, o princípio da técnica envolve a utilização de partículas de látex poliestireno revestido com anticorpos anti-PCR, e a aglutinação entre estas partículas é provocada pela interação da PCR presente na amostra com os anticorpos anti-PCR sensibilizados nas partículas de látex. O nível de aglutinação, que pode ser medido por turbidimetria, é diretamente proporcional à quantidade de Proteína C Reativa do soro analisado.

A turbidimetria é um método que se baseia na detecção óptica de soluções coloidais ou de partículas muito pequenas suspensas em um líquido. Este método utiliza os mesmos princípios aplicados na espectrofotometria clássica, e por isso, pode ser adaptada em qualquer equipamento de bioquímica automatizado. Dessa forma, é possível adicionar aos parâmetros bioquímicos de rotina, como glicose e colesterol, dosagens de proteínas específicas como a PCR. Esta pode ser considerada uma grande vantagem da turbidimetria em relação a nefelometria, visto que, a nefelometria requer um equipamento específico, e que, nem sempre este se encontra disponível em laboratórios clínicos. Portanto, a utilização da turbidimetria para quantificar níveis de PCR torna possível o acompanhamento de processos inflamatórios e facilita a utilização desta proteína como marcador de risco em síndromes coronarianas agudas.

Devido à importância deste método diagnóstico e deste exame especificamente, pesquisas tem sido realizadas pelo Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da Wama Diagnóstica para que em breve sejam disponibilizadas mais ferramentas laboratoriais que deverão auxiliar no diagnóstico das patologias citadas anteriormente. Este kit, como todos os outros produzidos na Wama Diagnóstica, irá manter a alta qualidade e eficiência dos nossos produtos.  

Compartilhe